Especialista em segurança na internet faz palestra sobre oportunidades e risco

27/04/2012
Fonte: 
http://www.mp.pb.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3521:especialista-em-seguranca-na-internet-faz-palestra-sobre-oportunidades-e-riscos&catid=44:infancia
Autor: 
MP-PB
Veículo de Imprensa: 
Veículo Nacional

Com a palestra “Novas tecnologias, nova infância? Oportunidades e riscos na Internet Brasileira” o público presente no auditório do Ministério Público da Paraíba (MPPB) tomou conhecimento sobre a dimensão do ciberespaço e os riscos que o mau uso do ambiente virtual traz aos mais desavisados – sobretudo, às crianças e adolescentes.

Ministrada pelo diretor de prevenção da Safernet Brasil, Rodrigo Nejm, a palestra integra a programação da oficina “Promovendo a proteção aos direitos das crianças e adolescentes no Ciberespaço”, que está sendo realizada pelo MPPB – por meio do Centro de Apoio Operacional às Promotorias da Criança e do Adolescente, que tem como coordenadora a promotora Soraya Escorel – em parceria com a Safernet, durante toda esta quinta-feira (26), em João Pessoa.

De início, o especialista em segurança virtual explanou sobre o panorama geral da tecnologia, em como a velocidade com que são implementadas novas ferramentas tecnológicas – para uso na internet ou não – gera um desafio.

 

“É um processo intenso em poucos anos. Depois de termos visto a popularização das lan houses, vemos a popularização de computadores nos lares, de celulares com acesso à web, de notebooks”, enumer Rodrigo Nejm, acrescentando que o reflexo disso tudo é a criação de relações mediadas pela tecnologia. Para se ter ideia, segundo dados do Comitê Gestor da Internet no Brasil, 61% das pessoas usavam lan house em 2009. No ano seguinte, essa margem caiu para 48%.

 

No entanto, continuou, “crianças e adolescentes conseguem aprender sozinhos a mexer em twitter, facebook, orkut, mas ter noção de ética, de cidadania, de direitos humanos, isso eles só vão compreender por meio da conexão entre as gerações”. Assim, Nejm destacou a importância das escolas possuírem um projeto pedagógico para o aproveitamento dessa tecnologia, pois, não adianta disponibilizar computadores sem que haja um suporte humano para orientar as crianças e os adolescentes.

 

Sobre dimensão pública da internet e cibercidadania o palestrante apresentou vídeos curtos, produzidos na Europa para uma campanha pelo direito ao esquecimento – ou seja, pelo direito à privacidade dos dados pessoais na web. Além disso, Rodrigo Nejm alertou que adultos, adolescentes ou crianças precisam compreender que a internet é uma praça pública e que os rastros que se deixam lá não são apagados. Como exemplo, ele lembrou que muitas empresas privadas, até alguns órgãos públicos, buscam os perfis de postulantes a um cargo em redes sociais para coletar informações sobre a conduta dessa pessoa.

 

“Dois bilhões de pessoas podem ter acesso ao espaço. É um ambiente que contempla o mundo e como qualquer outro lugar no mundo real, é preciso pensar muito bem antes de fazer qualquer ação, seja postar uma informação no ciberespaço quanto ir a uma praia conhecida por ser perigosa”, comparou, citando os riscos de invasão de privacidade, de roubo de dados, de ciberbullying, da dependência em jogos e da violência, entre outros.

 

Outro alerta dado pelo palestrante foi que, embora as pessoas acessem serviços gratuitos para e-mail, esse serviço acaba não sendo gratuito. É que o “pagamento” do usuário pelo acesso é o fornecimento de dados para empresa proprietária do site. “Mas no fim, tudo depende do uso que fazemos. É possível navegar na internet de forma segura e sem comprometer nossa segurança ou seriedade profissional”, apontou Rodrigo Nejm.

 

 

Programação da tarde

A oficina é dirigida para os representantes dos Conselhos Municipais, os conselheiros tutelares, os profissionais da educação e atores do Sistema de Garantia dos Direitos de Crianças e Adolescentes. No período da tarde, serão apresentados os procedimentos que podem ser adotados em casos de violações de direitos on-line e os subsídios para elaboração de campanhas locais de promoção do uso ético e seguro das tecnologias.

 

 

13:30 – Formação de multiplicadores: as tecnologias a favor da educação em Direitos Humanos também na Internet

- Fluxos e mecanismos de denúncia;

- Conhecendo o Kit Pedagógico da SaferNet Brasil

- Divulgação dos vídeos das campanhas de prevenção (on e off-line);

15h – Discussão

15:30 - Intervalo

15:50 – Continuação: Formação de multiplicadores: as tecnologias a favor da educação em Direitos Humanos também na Internet

- Materiais pedagógicos;

- Como multiplicar as dicas e campanhas?

- Integração na Rede Social Nética ;

17h – Discussão e Avaliação da atividade