Canal de ajuda online recebeu quase mil pedidos sobre perigos na Internet

10/01/2013
Fonte: 
SaferNet Brasil
Autor: 
SaferNet Brasil
Veículo de Imprensa: 
SaferNet Brasil

Ciberbullying é prática que demanda maior número de atendimentos. 80% dos relatos sobre encontros virtuais foram de meninas e de cada 5 relatos de suspeita de aliciamento sexual infantil, um envolve menino. Todos os indicadores estão no infográfico disponível em http://www.safernet.org.br/site/webline/infografico

Lançado em julho de 2012, o Helpline Brasil, primeiro canal online de ajuda e orientação psicológica sobre os riscos na web, realizou 824 atendimentos, através de e-mail e chat, sendo 36% para crianças e adolescentes. A maioria (24,5%) buscou orientação sobre ciberbullying; 80% dos relatos sobre encontros virtuais foram de meninas e de cada 5 relatos de suspeita de aliciamento sexual infantil, um envolve menino. Os sites do canal de ajuda e orientação psicológica online sobre os perigos na Internet (www.canaldeajuda.org.br e www.helpline.org.br) receberam 37.620 acessos de internautas de 71 municípios brasileiros; 6% dos pedidos de crianças e adolescentes foram sobre sexting. Outro dado que chama a atenção é a pouca procura dos pais pelo serviço. Apenas 10% das orientações foram para este público.

Chama a atenção da equipe do HelpLine os pedidos de ajuda recebidos para situações de racismo, homofobia e ofensas (ciberbullying) numa rede social relativamente nova, o Ask.fm, que passou a se popularizar no Brasil em 2012. Permitindo que os usuários façam perguntas e respondam de forma anônima, Ask.fm possui aplicativos e conexões com outras redes sociais, o que aumenta seu poder de alcance. Entretanto, sem uma representação legal no Brasil e contando apenas com um perfil na própria rede para reportar denúncias, crianças, adolescentes e jovens encontram dificuldades quando enfrentam situações de violência nesta rede social. Na Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos (CND), foram reportadas até 31 de dezembro de 2012 o total de 1411 URLs desta rede social.

O Facebook tem se mantido popular e contado com um público de faixa etária cada vez menor. Em pesquisa TIC Kids online (CGI, 2012), 71% das crianças com idade entre 11-12 anos tem perfil em redes sociais. Em junho de 2012, o Facebook anunciou que estava desenvolvendo tecnologias para permitir que crianças menores de 13 anos possam usar a rede social com a supervisão dos pais http://online.wsj.com/article/SB1000142405270230350640457744471174101923....

A tendência é que cada vez mais cedo crianças queiram frequentar esses espaços online, especialmente durante as férias escolares, o desafio é assegurar que estes espaços sejam um ambiente mais seguro para crianças desta faixa etária; 20% dos pedidos de ajuda dos pais são dúvidas sobre como controlar e restringir o uso e acesso da Internet por seus filhos, e a pergunta mais frequente é sobre para qual idade os ambientes como redes sociais são apropriados.

Orientar os pais sobre a importância da mediação é urgente já que os sites e aplicativos mudam com muita rapidez. Mesmo que os pais não tenham conhecimento técnico, é vital que participem ativamente da vida on-line dos filhos para promover um uso responsável, cidadão e seguro. O diálogo entre pais e filhos também pode ser feito em tempo real, usando a própria internet como aliada, através do www.canaldeajuda.org.br que está aberto para orientar pais e filhos, juntos, por chat ou por email.

O canal é resultado da parceria da SaferNet com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, por meio da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes.

Assessoria de imprensa da SaferNet Brasil – Donminique Azevedo (71) 3235 5910 91361618 E-mail: donminiqueazevedo@safernet.org.br